1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer>

NUCHA: 2 de março de 2018 - 13H

No Estúdio POPULARFM

NuchaNUCHA

2 de março de 2018 - 13H

No programa "Nós As Mulheres"


A carreira da Nucha começou quando a cantora tinha apenas treze anos. Cantou em bares e fez publicidade para rádio e televisão e, alguns anos mais tarde, optou por se dedicar à música a tempo inteiro.

Com dezasseis anos, formou o duo KutchiKutchi com Marité (Maria Leon), tendo, no ano seguinte, integrado um espectáculo de Fernando Pereira que lhe proporcionou visitar Portugal de norte a sul durante dois anos, bem como algumas comunidades portuguesas no estrangeiro. Para além disso, foi convidada para se juntar aos coros dos concertos de Rui Veloso, que tiveram lugar no Coliseu de Lisboa e no Rivoli do Porto.

Foi a partir de 1988 que Nucha começou a dar mais atenção à sua carreira a solo, pelo que decidiu então participar em festivais em busca de uma grande oportunidade. O primeiro foi o Grande Prémio da Música na Figueira da Foz, onde apresentou um tema assinado por Luís Filipe, intitulado "Se Calhar". Da Figueira partiu para a Turquia, país onde representou Portugal no Festival CESME, com a canção "It Will Never Be the Same". Dois anos depois (1990), a cantora voltou a representar o país, mas desta vez em Zagreb, na ex-Jugoslávia, no Festival da Eurovisão, pelo facto de ter vencido o Festival RTP da Canção com o tema "Sempre, Há Sempre Alguém". Ainda em 1990, foi receber a Hollywood, nos Estados Unidos o prémio IMOF (International Market Festival Echanges of Cultural Events) que venceu na Holanda. Seguiu-se uma passagem pela Finlândia, em 1991, onde Nucha participou no Midnight Sun Contest, com a canção "Porta Proibida". O primeiro álbum de originais, "Tu Vais Ver", chegou finalmente em 1992, servindo de mote a uma digressão por Portugal, feita de espectáculos a solo.

Dois anos depois, "Todos Me Querem" viu a luz do dia, e revelou-se um verdadeiro sucesso de vendas. Após a edição do álbum, Nucha partiu à conquista do mercado internacional.

Em 1995, a cantora desempenhou o papel de apresentadora de televisão no programa "Casados de Fresco", transmitido na RTP1 e RTP Internacional e, no ano seguinte, regressou à música com o seu terceiro registo de originais, intitulado "Sedução", com produção de Roberto Leal.

O trabalho seguinte chegou às lojas em 1997 e chamou-se "Anda (Que Eu Vou Ficar à Janela)". Nucha desenvolveu aqui as suas potencialidades de letrista, assinando grande parte das letras incluídas no disco, deixando a música a cargo de Filipe Neves. "Luz" data de 1998 e produziu o êxito "Viver sem ti (não pode ser)", uma versão de "All By Myself" que esteve na base do sucesso de vendas do álbum.

O ano de 1999 foi marcado por uma mudança de visual, que se traduziu num corte de cabelo adaptado à chegada do novo milénio. Nucha apresentou assim o seu mais recente trabalho, intitulado "Destino", com uma imagem renovada e aprovada pelos fãs. As gravações do disco decorreram nos estúdios Yahoo, no Rio de Janeiro, com a produção do brasileiro José Henrique.

Em 2004 é eleita "Rainha da Canção 2004".

Em 2005 lança uma nova versão de "Sempre, há sempre alguém" e uma balada pop-rock "Por ti sinto desejo" que conta com a assinatura de Ménito Ramos!

Corre o País em 2006 com o Tour "Tributo ao Festival da Canção" junto com Anabela, Paulo de Cavalho, Duarte Mendes e Fernando Pereira acompanhados por uma orquestra dirigida por Armindo Neves. Um Tour que merceu por parte da crítica os maiores elogios!

O Nucha On-Tour 2006 foi um sucesso, facto que fez prolongar-se por mais uma temporada passando a chamar-se Nucha On-Tour 2007.

2007 é o ano de "Regresso". Este album marca o regresso da Nucha. O regresso às origens do Rock e dos Blues e o regresso à Ovação que foi a sua primeira editora. Um CD em que Rafael Artesero é o produtor e compositor.

Em 2008 percorre o País e Comunidades Portuguesas com o "Tour Regresso".

No ano de 2009 faz a mais longa digressão pelo País desde o seu regresso aos palcos... pode-se dizer que foi UM ANO EM CHEIO!

2010 e 2011 foram mais dois anos em pleno cheios de espectáculos !

Em 2012 além do seu espectáculo a solo, a Nucha tem mais uma uma tornné que até agora está a começar em grande... a Tour Gerações! Nucha, Monica Sintra e Ana juntas para homenagiar as músicas de sempre da nossa história músical! O numero de espectáculos já agendados para este ano têm superado todas as nossas espectativas! O ano de 2012 promete ser um dos melhores de sempre!!

Fonte: Nucha

CiIGANOS D'OURO: 1 de março de 2018 - 16H

No Estúdio POPULARFM

CIGANOS D'OUROCIGANOS D'OURO

1 de março de 2018 - 16H

Mini-concerto em "Nós As Mulheres"


Os Ciganos D'Ouro são os convidados para o regresso dos mini-concertos à POPULARFM.

CIGANOS D'OURO surgem em 1994 por iniciativa dos Irmãos José Pato e Sérgio Silva. A partir de 1996, ano de lançamento de La Casa, depois dos sucessos de Gitanita Vem e Oh Mi Amor, contou com a colaboração regular dos guitarristas Pedro Jóia e Francisco Montoya. Ao longo dos 22 anos de carreira, o grupo divulgou o seu trabalho em festivais internacionais de música em países como a Bélgica, França, Espanha, Holanda, China, República Checa, Macau, Finlândia . A matriz principal do grupo é o Flamenco e o Cante Hondo, sendo o resultado desta fusão a edição de 7 discos .

Para além das composições originais, os Ciganos D`Ouro interpretam músicas de autores e artistas como Amália, “Cansaço” e “Dar de Beber à Dor”, bem como Roberto Cantoral, Paco de Lucia, Gypsy Kings, Federico Garcia Lorca, Rui Veloso, entre outros.

A conjugação da matriz flamenca com elementos de origens tão diversas como o Fado, o Tango, a Morna, o Jazz e a música balcânica, resultando desta fusão uma sonoridade original e apelativa.

A banda constituída por José Pato (voz e guitarra), Sérgio Silva (segunda voz e guitarra) e Francisco Montoya (guitarrra solo e arranjos), conta com as participações de Jaume Pradas, Gustavo Roriz, Victor Zamora, Sebastian Sheriff, e os convidados especiais, Kumpanhia Algazarra, Pedro Jóia, Dennis Stetcenko, Lúcio Stuart e Bruno Cardoso.

Fonte: Central de Artistas

NUNO RICKY: 28 de fevereiro de 2018 - 17H

No Estúdio POPULARFM

NUNO RICKYNUNO RICKY

28 de fevereiro de 2018 - 17H

No programa "Nós As Mulheres"


Nascido em La Chaux-de-Fonds (Suíça) e filho de emigrantes portugueses, NUNO RICKY desde de muito novo sempre foi um apaixonado pela música. Aos 8 anos de idade decide entrar numa escola de música suíça para adquirir formação musical. Ai se formou até os seus pais decidirem regressar a Portugal em definitivo no ano 1999, na altura tinha ele 13 anos.

Em Portugal, NUNO RICKY passou a ser um músico autodidata e decide começar a tocar teclado e cantar. Rapidamente formou um dueto e uma banda e começou a actuar em várias festas por todo o pais. Manteve esses dois projetos durante 10 anos, até ao ano 2009. Paralelamente também actuava em bares com outra banda criada por ele, e desde 2009, essa banda passou a ser a aposta principal do músico.

Em 2012 surge o convite da cantora NUCHA para ser Director Musical do seu projecto de originais. A partir dai, vários foram os palcos que pisaram juntos e os programas de televisão que participaram. Também chegou a acompanhar outros artistas portugueses em palco. Com o projecto da NUCHA e com a sua banda de bares, NUNO RICKY sentia-se ainda incompleto, pois a vontade de criar as suas próprias músicas começava a falar mais alto.

Em 2016, NUNO RICKY reúne-se com MÉNITO RAMOS e convida-o para produtor do seu projecto de originais. Trabalharam juntos durante esse ano e finalmente nos finais do ano 2017, sai o seu álbum de estreia “C’est la vie”. Um trabalho muito aguardado por ele e pelo seu produtor. Conta também com a participação da sua grande amiga NUCHA num dos seus temas.

Actuamente NUNO RICKY foca-se na promoção deste seu primeiro trabalho e na realização dos seus espectáculos ao vivo com a sua banda. Agora sim, finalmente com as suas músicas.

No que toca ao seu futuro, com empenho e dedicação, tudo é possivel...

Fonte: Nuno Ricky

BERG: 23 de fevereiro de 2018 - 13H

No Estúdio POPULARFM

BERG

23 de fevereiro de 2018 - 13H

No programa "A Hora É Nossa"


Teófilo Sonnenberg (Berg) nasceu em Angola, cresceu no Porto e viveu na Suiça (onde fez parte da equipa nacional de snowboard e onde gravou o primeiro album aos 15 anos com a banda Pacemaker).

De volta a Portugal integrou a banda de Rui Veloso onde permance há 14 anos.

Foi também convidado para as gravações de albuns de Boss AC, Rita Guerra, Nuno Guerreiro, Pedro Abrunhosa e GNR.

Em 1999 edita o primeiro a solo (Berg) seguido por “Mundo” em 2008.

Em Fevereiro de 2014 foi o grande vencedor do Factor X Portugal o que o fez abraçar a sua carreira a solo e conquistar o já tão merecido reconhecimento público.

Após vários anos de carreira a acompanhar os mais importantes músicos portugueses, este BERG mais maduro e confiante assume com naturalidade esta nova etapa da sua vida, onde a sua faceta de frontman e homem de palco é evidenciada.

Fonte: Sony Music

Please update your Flash Player to view content.
Please update your Flash Player to view content.
Please update your Flash Player to view content.