1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer>

Helder G: Apostas da semana de 30 Maio a 05 Junho 2011

Domingo, 29 Maio 2011 00:00

popularfm_apostadasemana_helder gNasceu em Angola - Nova Lisboa, no bairro de São João, em 1 de Agosto de um qualquer ano do século passado, às 7 horas da manhã… Hélder Gáudio Batista Morgado, filho de António Martins Morgado e de Maria Imaculada Filipe Batista Morgado.

Saiu de Nova Lisboa em 1972, com a restante família para viver em Caconda, numa mansão construída pelos pais e outros amigos, mas que de pouco ou nada gozou em virtude da guerra e dos ventos da destruição que entretanto invadiram Angola.

O pai era o grande mestre que passava os filmes no cinema do Ferrovia em Nova Lisboa e que também acompanhava uma grande senhora do nosso fado Amália Rodrigues, sempre que ela por lá passava.

O avô paterno tocava violino e aos 5 anos, (oh como eu gostava de o ouvir, e também de ouvir as batucadas dos xingais), logo lhe pediu um batuque e foi chatear a família com batucada até mais não….

Aos 7 anos tudo para trás ficou, e veio com a família para Lisboa e da riqueza à pobreza, foi um passo.

Durante um ano viveu instalado no hotel Mundial no Martim Moniz como muitos outros, onde foram muito bem acolhidos e, depois foi viver para a Serra das Minas onde renasceu com mais força o seu gosto pela música. 

Fez parte de um grupo de dança de um dos grandes senhores da música africana Raul Indipwo.

Em 1989, por motivos pessoais deixou a música e a dança.                                                                                            

E, como e que voltou à musica de novo?

Na sua profissão de bate chapas, punha-se a cantar e com um martelo fazia o acompanhamento, matando assim as saudades musicais, sendo descoberto um dia por um cliente que se apresentou como maestro Maurício Vieira da Silva e que ao vê-lo naquele propósito lhe perguntou se era músico, ao que respondeu que sim e que tocava percussão, bateria e guitarra.

Perguntou-lhe se estava interessado em tocar percussão para o cantor Fernando Correia Marques aquele que cantava o Burrito e, do qual gostava muito. Ao aceitar entrar na banda como percussionista e mais tarde como bailarino e coralista, pode dizer-se que desde 1995 foi adquirindo a experiência para amar o público e realizar o seu sonho.

Aposta da Semana

Please update your Flash Player to view content.
Please update your Flash Player to view content.
Please update your Flash Player to view content.