1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer>

ALCOOLÉMIA: 25 de Janeiro de 2015 - 22H

ALCOOLÉMIAALCOOLÉMIA

25 de Janeiro de 2015 - 22H

Catedral do Rock com Jorge Caldeira



Os Alcoolémia nasceram no ano de 1992 na cidade de Amora, na procura de uma sonoridade própria. As suas composições têm como base o rock, variando com punk rock, hard rock e até com pop. Gravaram a primeira demo-tape com três temas originais "Quero-te Ver Nua", "Curtir a Vida" e o instrumental "Alcoolémia". Participaram na meia-final do Seixal Rock '92. Em Abril gravaram a nova maqueta com os temas "Não Sei Se Mereço", "Vizinha Linguaruda", "509", "0,5" (ambos instrumentais) e ainda "Quero-te Ver Nua" e "Curtir a Vida" com novos arranjos.

Em 1994 fizeram cerca de 100 espetáculos e em Setembro desse ano, com o produtor João Martins, começaram a gravar o primeiro álbum, "Não Sei Se Mereço", com a participação de Mário Gramaço, ex-Rock & Varius, no saxofone.

Em 1995 a editora Movieplay assinou contrato com os Alcoolémia e "Não Sei Se Mereço" foi editado em Junho, atingindo um enorme sucesso, entrando diretamente para o 14.º lugar do Top+, Made in Portugal, chegando a 7.º lugar algumas semanas depois. Em Março de 1996 foi atribuído o galardão de disco de Prata, devido a vendas superiores a 10.000 unidades.

Em Fevereiro de 1997 os Alcoolémia gravaram o 2.º álbum com o título "Não Há Tretas" com produção a cargo de João Martins. No dia 10 de Junho de 1997, Dia de Portugal e das Comunidades, foram oferecidos 5.000 singles do tema "Portugal o Nosso País", como acto promocional. No mesmo mês é lançado para o mercado o álbum "Não Há Tretas", composto por 10 temas originais e uma versão rock do popular fado "Nem às Paredes Confesso".

Em 1998 foi editado o 3.º álbum (acústico) "Até Onde", com várias versões de temas dos discos anteriores e dois inéditos: "Até Onde Posso Ir" e "Quem És Tu".

Após uma digressão exaustiva, os Alcoolémia passaram por um período de descanso merecido e dedicado à família, mas também dando atenção a alguns projectos paralelos. Voltaram ao trabalho em 2004 para iniciarem a pré-produção de um novo álbum, que só estaria pronto em 2007. O 4.º álbum, homónimo, inclui nove originais e uma versão de "Chiclete", dos Táxi.

Entre 2008 e 2011 os Alcoolémia fizeram dezenas de espetáculos, um pouco por todo o país, dos quais se destacam duas atuações no Campo Pequeno, em Junho e Novembro de 2010 na 1.ª parte de Russ Ballard e na 1.ª parte de D.A.D e GUN, respectivamente; e no Pavilhão do Restelo, novamente na 1.ª parte de D.A.D.

Em Agosto de 2012 a banda dá inicio à digressão de comemoração dos XX anos, na Amora, e que só viria a terminar em 2013, regressando ao estúdio para gravar o sucessor de “Alcoolémia”.

2014 foi o ano de lançamento do 5.º álbum de originais, gravado no Rockstudio, com produção de Pedro Madeira e masterização de Tó Pinheiro da Silva. Com o título "Palma da Mão", composto por 10 temas originais cantados em português, este disco assinalou o regresso dos Alcoolémia álbuns e ao rock and roll cru na língua de Camões e Amália. Segue-se a estrada e os palcos! São 22 anos, dezenas de milhar de álbuns vendidos e centenas de espectáculos! E muitos mais virão... São os Alcoolémia!!!

No Estúdio POPULARFM

Please update your Flash Player to view content.
Please update your Flash Player to view content.
Please update your Flash Player to view content.